Franz Joseph von Papen (1879-1969), Político

Franz Joseph von Papen (1879-1969), Político

 

Franz Joseph Hermann Michael Maria von Papen

Franz Joseph Hermann Michael Maria von Papen foi um político, militar, nobre e diplomata alemão católico conservador. Ocupou o cargo de Reichskanzler (Chanceler da República de Weimar), de 1 de Junho de 1932 a 17 de Novembro de 1932, e de Vice-Chanceler em 1933-1934.

Político apresentado com um carácter dúbio, pertenceu ao grupo de conselheiros próximos do presidente Paul von Hindenburg no final da República de Weimar. Foi, em grande parte, Papen que persuadiu Hindenburg a nomear Adolf Hitler como chanceler num gabinete que não estava sob o domínio do Partido Nazi (NSDAP). No entanto, Papen e os seus aliados foram rapidamente marginalizados por Hitler, deixando o governo após a Noite das Facas Longas, episódio durante a qual os nazis mataram algumas pessoas da sua confiança. Posteriormente, Papen serviu como embaixador do Reich alemão em Viena e em Ancara.

Após a Segunda Guerra Mundial, Papen foi julgado em Nuremberga, tendo sido absolvido de todas as acusações. Mais tarde foi sentenciado na Alemanha por um tribunal de desnazificação (Entnazifizierung), uma iniciativa dos Aliados, após a vitória sobre a Alemanha Nazi, reforçada pelos Acordos de Potsdam. A acção procurava acabar com a influência nazi na sociedade, cultura, imprensa, justiça e política da Alemanha e da Áustria.

Após recurso Papen foi libertado em 1949.

Histórias de A a Z
— TEMA RELACIONADO —
 
República de Weimar