Hermann Wilhelm Göring (1893-1946), Militar e Político

Hermann Wilhelm Göring (1893-1946), Militar e Político

 

Hermann Wilhelm Göring

Hermann Wilhelm Göring foi um político Alemão, um líder militar e um dos principais membros do Partido Nazi. Foi veterano da Grande Guerra, um exímio piloto de caças e um militar galardoado com a medalha “Pour le Mérite”, a mais alta condecoração militar da Prússia no decorrer da Grande Guerra, também conhecida por “The Blue Max”.

A origem aristocrática de Göring e o seu prestígio como herói de guerra, abriram-lhe as portas no recém-criado Partido Nazi. Adolf Hitler nomeou-o para comandar a Sturmabteilung (SA), uma milícia paramilitar Nazi, em Dezembro de 1922.

Em 1923 participou na “Revolta da Cervejaria de Munique” (Hitlerputsch), tendo sido gravemente ferido, e devido ao falhanço do golpe de estado, viu-se forçado a fugir da Alemanha. Fugiu para a Áustria, Itália e Suécia, esteve internado num hospital psiquiátrico e, em Setembro de 1925, no decurso da sua prolongada recuperação, ficou viciado em morfina.

De volta à Alemanha em 1927, ingressa no NSDAP (partido nazi) tendo sido eleito, um ano depois, como um dos deputados ao “Reichstag” (Parlamento). Durante os seguintes cinco anos, Göring desempenhou um importante papel no encaminhamento de Hitler ao poder, preparando o caminho que o levaria à Presidência do “Reichstag”, após o triunfo eleitoral de 31 de Julho de 1932.

Após a nomeação de Hitler como Chanceler, a 30 de Janeiro de 1933, Göring foi eleito Ministro do Interior da Prússia, Comandante-Chefe da Polícia Prussiana, da Gestapo e Comissário para a Aviação. Como implementador da polícia secreta, Göring, juntamente com Heinrich Himmler e Reinhard Heydrich, conceberam antecipadamente os campos de concentração destinados a adversários políticos, esmagando e aterrorizando toda a resistência.

Göring a pretexto do incêndio do “Reichstag” apoiou Hitler na implementação de uma série de decretos de emergência que destruíram os últimos direitos civis remanescentes na Alemanha, permitiram prender Comunistas e Social-Democratas e proibir a imprensa de esquerda.

Göring concordou que o “SturmAbteilung” (SA) representava uma ameaça para o Exército Alemão e para Hitler e, a 30 de Junho de 1934, organizou a “Noite das Facas Longas“. Dirigiu directamente as operações aproveitando para eliminar Ernst Röhm, seu rival, e outros líderes das (SA).

Foi nomeado Comandante-Chefe da Luftwaffe (Força Aérea Alemã) a 1 de Março de 1935.

Em Fevereiro de 1938, Göring foi nomeado Chefe das Forças Armadas Alemãs. No ano seguinte, foi oficialmente eleito como legítimo sucessor de Hitler.

Após a eclosão da Segunda Guerra Mundial, Göring assumiu a liderança das Forças Armadas com o objectivo de obter uma rápida vitória sobre a França, os Países Baixos, a Bélgica e o Luxemburgo. No entanto, não conseguiu evitar a evacuação Britânica de Dunquerque.

Göring organizou o esforço de guerra Alemão durante a Batalha da Grã-Bretanha onde, em Setembro de 1940, teve que rever as tácticas utilizadas até então, passando a ordenar a realização de bombardeamentos intensivos, que ficaram conhecidos por “Blitz”. Foi igualmente criticado pela falha da Luftwaffe durante a Operação Barbarossa, na frente Leste (Rússia).

Quando o Exército Vermelho avançou sobre a Alemanha, Göring transferiu o seu quartel-general para Berchtesgaden. Após o suicídio de Adolf Hitler, Göring rendeu-se ao Exército dos EUA na Áustria, a 8 Maio de 1945.

Hermann Göring foi considerado culpado de crimes de guerra durante o Julgamento de Nuremberga, mas a execução a que foi condenado não chegou a concretizar-se, pois Göring suicidou-se ingerindo uma cápsula de cianeto de potássio no dia 15 de Outubro de 1946.

Histórias de A a Z
— TEMA RELACIONADO —
 
Terceiro Reich