Palácio de Rastatt (Schloss Rastatt)

Palácio de Rastatt (Schloss Rastatt)

 

Rastatt

Rastatt é uma cidade em Baden-Württemberg, cerca de 22 quilómetros a Sudoeste de Karlsruhe e cerca de doze quilómetros ao Norte de Baden-Baden. É a maior cidade do distrito de Rastatt e forma um centro com as comunidades vizinhas. Rastatt é uma importante cidade distrital desde 1 de Abril de 1956.

Rastatt foi ampliada no século XVIII para se tornar a residência barroca da Margraviate de Baden-Baden. Foi uma fortaleza federal no século XIX e uma cidade de guarnição até o final do século XX. Rastatt é o local de uma fábrica de automóveis da Mercedes-Benz desde 1992.

Rastatt está localizada na planície do Alto Reno, com 30 km de largura, delimitada pela Floresta Negra a Leste e pelos Vosges franceses a Oeste. O Murg atravessa a cidade de Sudeste a Noroeste e deságua no Reno no seu ponto mais ao Norte.

As seguintes cidades e municípios fazem fronteira com a cidade de Rastatt. A partir do Norte: Steinmauern, Ötigheim, Muggensturm, Bischweier e Kuppenheim (todos os distritos de Rastatt), Baden-Baden (distrito urbano), Iffezheim (distrito de Rastatt) e do outro lado do Reno, no departamento do Baixo Reno da Alsácia, os municípios de Munchhausen, Beinheim e Seltz. A área urbana de Rastatt é composta pelo núcleo da cidade e pelos distritos de Niederbühl, Ottersdorf, Plittersdorf, Rauental e Wintersdorf, que só foram incorporados como parte da reforma municipal da década de 1970. Os distritos ocidentais de Ottersdorf, Plittersdorf e Wintersdorf perto do Reno formam o chamado “Ried”.

Em 24 de agosto de 1689, Rastatt foi incendiada pelas tropas francesas durante a Guerra de Sucessão do Palatinado e foi quase completamente destruída. Com a reconstrução da povoação, a partir de 1697 foi construído um pavilhão de caça para o Margrave Ludwig Wilhelm, que em 1699 ordenou que o pavilhão de caça fosse convertido em residência, o Castelo (Palácio) de Rastatt. Por volta de 1700 Rastatt recebeu direitos de cidade.

Na Guerra da Sucessão Espanhola, o Marechal Villars ocupou a cidade em 1707 e arrasou as suas fortificações. A Guerra da Sucessão Espanhola terminou na Paz de Rastatt em 1714.

As primeiras tentativas de industrialização falharam. Rastatt quase se tornou uma cidade universitária em 1776, mas os planos para uma universidade de Rastatt foram abandonados devido à falta de fundos. De 1797 a 1799 ocorreram aqui negociações de paz com um total de 97 conferências entre a França e a Prússia com a participação da Áustria, do Congresso Francês de Rastatt. Terminaram com o assassinato do enviado de Rastatt.

Em 1863, o Gabinete Distrital de Rastatt passou a fazer parte do Distrito de Baden-Baden, que só foi dissolvido em 1939. Desde então, Rastatt é sede do distrito de mesmo nome, que foi fundado na época e atingiu seu tamanho actual durante a reforma distrital de 1 de Janeiro de 1973.

Diversas famílias judias que moravam na cidade há muito tempo construíram a segunda sinagoga em Leopoldring. Esta igreja da comunidade judaica foi profanada e incendiada por homens das (SA) durante o pogrom de Novembro de 1938. Na Segunda Guerra Mundial Rastatt viu ser destruído cerca de 9,1% da sua área e 51 pessoas perderem a vida como resultado de ataques aéreos e fogo de artilharia aliados.

Entre 1946 e 1954, cerca de vinte grandes processos criminais (os chamados julgamentos de Rastatt) por crimes contra trabalhadores estrangeiros e prisioneiros em campos menores do sistema de campos nacional-socialistas no Sudoeste da Alemanha ocorreram perante o Tribunal Geral da Administração Militar Francesa com base na Lei do Conselho de Controle nº 10, com mais de 2.000 acusados. No período pós-guerra, o campo de trânsito de Rastatt foi um grande campo para refugiados da esfera soviética e deslocados, principalmente da Europa Oriental, que foi planeado como uma solução temporária, embora tenha existido até 1957.

Em 1953, a população da cidade de Rastatt ultrapassou os 20.000 habitantes. Como resultado, Rastatt foi declarada uma grande cidade distrital por lei quando o Código Municipal de Baden-Württemberg entrou em vigor em 1 de Abril de 1956.

 
PALÁCIO DE RASTATT
 

Schloss Rastatt

Schloss Rastatt, (em português: Palácio de Rastatt), em Rastatt foi residência dos marqueses de Baden. O palácio e o parque anexo foram construídos por volta de 1700 pelo mestre italiano Doménico Egídio Rossi, contratado por Ludwig Wilhelm von Baden-Baden.

Após a Guerra dos Nove Anos (guerra pela sucessão do Palatinado) o castelo e sede da residência de Ludwig Wilhelm von Baden-Baden foi incendiado pelas tropas francesas.

A reconstrução do castelo destruído não teria sido adequada para as necessidades representacionais da corte de Baden-Baden. Como também precisava de um lar para a sua esposa Francisca Sibila Augusta da Saxónia-Lauenburg, com quem se casou em 1690, construiu uma nova residência no local do antigo pavilhão de caça.

Durante esta operação, o pavilhão de caça de 1697 foi demolido para dar lugar ao novo palácio.

A vila de Rastatt foi promovida à categoria de cidade em 1700 e o margrave mudou-se para lá com a sua corte. A residência em Rastatt é a residência barroca mais antiga da região do Alto Reno alemão.

O Palácio foi construído seguindo o exemplo do Palácio Francês de Versalhes.

Durante o século XIX, serviu como quartel-general.

Durante a Segunda Guerra Mundial o palácio não foi danificado. Hoje alberga dois museus, o “Wehrgeschichtliche Museum” (História Militar) e o “Erinnerungsstätte für die Freiheitsbewegungen in der deutschen Geschichte” (Memorial dos Movimentos de Libertação Alemães).

Histórias de A a Z
— TEMAS RELACIONADOS —
 
Terceiro Reich
Colecção ‘Paul von Hindenburg’
Segunda Guerra Mundial
— FILATELIA —